segunda-feira, julho 27

Friaca

“...Mas, como todos os verdadeiros iniciados bem sabem, é no inverno que vivem as ondas. É do arrefecimento que nascem os ventos que formam as vagas. Só no inverno os surfistas se completam, perante as forças naturais, em luta com os elementos. É de inverno que são feitas as grandes ondulações, os mares mais perigosos, a afirmação dos homens. O inverno é que traz o selo da aceitação pelos pares. O surf de inverno é o primeiro ritual iniciático – o que separa os surfistas, dos que fazem surf. E essa distinção é ainda mais agravada pelo fosso cavado entre os que detêm as ondas e os que as anseiam. O surf de inverno é feito de agrura, de dificuldade, de isolamento. Em tudo há uma espécie de individualismo exacerbado, uma quase misoginia. O surf no inverno é surf de uma pessoa só. E nessa condição, apesar da bravura, a partilha e o seu prazer ficam impossibilitados. Ao contrário, o verão é feito de comunhão. De combinação de alegrias...”

Prazeroso texto de Pedro Arruda do blogue Ondas que você confere na integra aqui.

Achas que o frio chegou?
Então é porque não visse isso ainda.

2 comentários:

Barbara Hannah disse...

Ainda bem que eu nasci no Invernooo.. nasci na valaaaa... hahaha beijo

Luciano Burin disse...

Olá Maurio,
Recentemente publiquei uma matéria sobre este filme Powers of Three no meu blog... dá uma conferida lá:
http://surfecult.blogspot.com/search/label/irlanda
No mais, parabéns pelo teu blog... sempre acompanho as postagens.
abs,
Luciano
www.surfecult.blogspot.com