sexta-feira, julho 10

Dadá tinha razão.

Impressionante como essa molecada está voando alto. Os aéreos estão tão frequentes que a coisa se tornou vulgar. É aéreo com mão na borda, com as duas mãos na borda, aéreo rodando, aéreo empurrando a rabeta, aéreo saindo de uma batida, enfim, chego a acreditar que dentro em breve o aéreo será tão comum como dropar uma onda. Ontem no CIC, no novo filme Retratum da Oakley, Jadson, Mineiro, Charlie Brown e um tal de Caio Ibeli, de apenas 12 anos, brincavam de voar. Hoje no Maresia Surf International, na Mole, esse moleque aí na foto, Peterson Crisanto, paranaense da equipe Billabong, protagonizou um dos melhores momentos do dia ao voar muito alto, de back-side, rodando com o lip e aterrisando na base da onda como se fosse a coisa mais simples desse mundo. Gabriel Medina de 15 anos e Miguel Pupo de 16, com atuações impecáveis nas boas ondas de 1,0 metro que quebravam no meio da praia nessa sexta-feira, avançaram para o 4º round eliminando vários nomes já consagrados do WQS e ex-tops do WCT utilizando como arma um arsenal de manobras aéreas. Chego a conclusão que o Dadá Figueredo esteve realmente muito a frente do seu tempo. Uma pena ter sido tão incompreendido pelos juízes nos 80.

Um comentário:

Barbara Hannah disse...

é a gurizada chegando firme..e quenteee.....!