quinta-feira, julho 30

As revistas

"...A Source Interlink, empresa responsável pela publicação de várias revistas de esportes de ação, entre elas a Surfer e a Surfing, duas das mais influentes revistas especializadas em surf, acabou de pedir concordata nos EUA. Isso é mais uma prova de que o efeito dominó causado pela crise financeira não se limita apenas a um setor da economia. De fato, a indústria de entretenimento como um todo vem sofrendo bastante os efeitos do atual momento econômico mundial. Além da Surfer e da Surfing, a Source Interlink publica as revistas Skateboarder, Snowboarder, além de outras cinco publicações de esportes de ação. O portfolio da empresa conta com 75 revistas e 90 sites. No final das contas, a Source Interlink entrou com o que nos EUA é conhecido como "Chapter 11", ou seja, uma concordata. Segundo nota oficial da Source Interlink, os termos desta concordata devem permitir que a empresa continue operando normalmente...”

Leia o texto acima na integra aqui.

Eu, particularmente, acredito ainda que nada é mais legal do que comprar a sua revista predileta na banca. Revistas eletrônicas são interessantes porém descartáveis. Não é assim o mundo hoje? O nosso meio editoral, leia-se Fluir, Hardcore, Alma Surf, Surfar, Drop, Juice, precisa achar uma saída criativa para estar sempre se renovando. Ultimamente a "falta de conteúdo" e do "que dizer" é que tem afastado o nosso público das revistas "ditas" especializadas. Quer um exemplo: O que se leu minutos após as finais das etapas do mundial de surfe na Gold Coast e em Bells nos principais sites, foi publicado um mês depois nas revistas. Em algumas ocasiões até as fotos são as mesmas... Os textos são pobres, repetitivos e sem graça. As revistas já venderam muito mais nas bancas. Hoje em dia a procura por elas caiu muito, tanto que a tiragem (de todas) diminuiu consideravelmente.

8 comentários:

jefferson lopes disse...

Concordo plenamente! Os textos são paupérrimos tanto pelo conteúdo, como pelo domínio da língua escrita. Com raras excessões, é uma "mesmisse" textual que não atrai mais ninguém.

Barbara Hannah disse...

Eu comprava revistas nas bancas todos os meses...ainda tenho várias aqui... mas infelizmente devo concordar com você... são ditas as mesmas coisas.. os textos são fracos.... até revista machista ainda tem....até aquele que estamos em 1900 e antigamente.... eu sempre sonhei em produzir uma revista por causa disso.. quem sabe um dia eu consiga realizar esse sonho... hahahaha

Fabrício L. disse...

Blz Maurio,
Tenho mais de 200 exemplares de revistas de surf, quase todas a coleção da Fluir. Não compro mais pois falta espaço para guardar. As edições históricas estão todas lá, como do Hang Loose 86, a vitória do Fabinho em Porto Rico,etc. Ficávamos sabendo das notícias através da revistas com dois ou três meses de atraso, mas era show devorar a revista logo após compra-la. O problema é competir com a rapidez da net, as revistas deveriam encartar DVDs e fazer matérias exclusivas para despertar o interesse do leitor.
Abraço e Paz na Água

Alemão disse...

Acho que não é bem por aí Máurio, esse seu comentário mais parece uma crítica do Luiz carlos Prates, onde nosso lado está sempre atrasado e errado.
Se fosse bem verdade, as revistas gringas ditas como especialistas no assunto, que lançam notícias em primeira mão, não estariam entrando na crise também.

jefferson lopes disse...

Acho que faltou acrescentar o fato de que as revistas de surf carregam mais anúncios em suas páginas do que matérias e fotos. Voltando àquelas antigas máximas da filosofia: o surf deixou de ser um exercício do "ócio" para se transformar em um grande "negócio". O surf perdeu (ou vendeu)a alma há muito tempo...

orlando disse...

Apesar de tudo o que foi dito aqui, esperimentem assinar a Fluir, mais de 60 dias para receber o primeiro exemplar, muito estresse e na promoçao de assinatura receberia um brinde, o qual aguardo até hoje, la se vao 5 meses, é por isso, com crise e tratam os assinantes como se estivessem fazendo um favor. Sao muito imcompetentes.

Anônimo disse...

Caracas, me acho, vistes: me acho até muito corajoso de escrever.Bem no fundo concordo com todos e no Camerasurf, na minha coluna passada, falo algo parecido.Bravos a todos e continuem assim, criticos e construtivos. Um dia os caras melhoram. Eu também.Aloha
Castro Pereira

Japa disse...

Orlando,

sua procissão apenas começou. Assinei a 5 meses, recebi outro brinde que não o prometido e todo mês recebo a edição atrasada em torno de 2 semanas. Os encartes a gente tem que comprar da editora, separado e mais caro. NÃO ASSINEM A FLUIR, é enrolação. Prefiria estar comprando na banca. Gostei da mudança do editorial da Hardcore, além dela estar saindo com os encartes.