domingo, novembro 18

Eu esperava bem mais...

A idéia é ótima. Isso não se discute. Acompanhei as edições de anos anteriores lendo a respeito. E pelo que soube nesse ano em Sampa e na Cidade Maravilhosa foi muito bacana! Mas aqui em Floripa não foi bem assim...

Os filmes foram rodados num lugar não apropriado – espaço muito grande – na pista de dança do El Divino Club, projetado numa tela pequena e nem som - se ouvia - tinha.

As artes (painéis de pintura e fotografias) estavam muito mal iluminadas - várias sem a mínima luz em profunda escuridão, em meio a copos plásticos de cerveja e papéis jogados no chão. Isso não é local adequado para expor e muito menos apreciar uma obra de arte.

E onde estavam os 400 livros da biblioteca Alma Surf? E o acervo de pranchas que iriam contar a história do surfe no Brasil? Havia 5, vamos lá, 6 delas expostas no início da festa. Quem chegou mais tarde nada viu.

Achei o evento aqui em Floripa mal produzido. Os shows sim valeram à pena! G-Love principalmente. O público, cerca de 4 mil pessoas, pode ser considerado como muito bom, mas tenho certeza sentiu-se de certo modo enganado, assim como eu, que esperava conferir o que anteriormente fora anunciado.

Eu que divulguei o evento através da Rádio Jovem Pan, peço desculpas para os que me ouviram durante toda a semana dentro do Boletim Nas Ondas da Pan, e que foram ao evento na expectativa de conferir o que havia sido divulgado e anunciado em pré-releases.

Quem sabe para o ano que vem...

3 comentários:

Felipe Siebert disse...

é verdade...

mas de qualquer forma só os show valeram os R$40

o show do Lenine no Floripa Music Hall foi esse preço sendo que era para ficar lá no fundão...

o do Ben Harper ano passado mesmo foi uma piada.. qusieram botar 45645647856753 pessoas dentro de um lugar que não tinha estrutura para metade, sem falar de onde eu tive que deixar meu carro e ir a pé...

pelo menos não deu tiroteio que nem o show do israel vibration no LIC...

não sei se eu já estou conformado... mas pelos eventos que ocorrem aqui na ilha esse foi acima da média pelo menos...

da uma olhada nas fotos do meu blog,

abraço,

Surf4ever disse...

Dae Maurio, tens razão a parada ficou longe do esperado. O auge do absurdo pra mim foi ver uma gata muito doida quase encostando o cigarro aceso na maior tela que havia exposta, um tubão animal que não lembro o autor. Vi gente encostando os dedos nas telas pra bater fotos, sem noção, triste. Se 5% dos 4 mil que foram lá realmente se interessam e respeitam arte e cultura Surf, foi muito. Os filmes, acabei não vendo tb porque o cronograma estava confuso. Pra mim valeu ter conhecido pessoalmente o Felipe da Plywood (que comentou aí acima) e o George e o Tora do Wavetoon, a raça bateu um papo legal e trocou várias idéias. Abração,
Gustavo

Tora disse...

Poh seu Maurio, pena não nos encontrarmos por lá. falamos com o Felipe Siebert, com o Gustavo surf4ever...faltou falar com vc.
Mas não faltarão oportunidades.
Achei o evento legal, mas como encontro e não como uma Mostra pois os espaços físicos ficaram meio confusos. O que mais me chamou atenção foi a segurança do local...
Gente despreparada na minha opinião.
Mas, tudo correu bem se pensar nos relatos do Felipe.

Grande abraço galera.