sexta-feira, dezembro 28

A barca vai sair...

Van do surfe. É a Van... Gogh.
Como diz o Gustavo lá do surf4ever: Bom para levar a raça para surfar no Moçamba. Agora, um conselho: não deixe nada a vista dentro da caranga. Senão...

2008 já está na porta. E como 2007 passou rápido...

Parece que foi ontem que de pernas pro ar curti como nunca, em família, o sol do último verão, na praia de Itapirubá, pequeno vilarejo de pescadores nos arredores de Imbituba. O tempo voa essa é a verdade. Parece que foi ontem. Já estou arrumando minhas coisas para novamente cair na estrada. Uma pena é que nesse ano meu verão será, infelizmente, bem diferente do que passou.

Com uma centena de compromissos assumidos, algo me diz que vou ter de ficar na miúda e buscar diversão e ondas por aqui mesmo, nas praias da Ilha que já estão lotadas. A cidade está com trânsito complicado e aqueles problemas tradicionais já bem conhecidos de uma cidade turística que triplica de habitantes durante a alta temporada.

Li no jornal de hoje, em manchete, que pode faltar energia nessa virada de ano e água potável nas praias do lado norte da Ilha, onde estão situadas as praias de Jurerê, Canasvieiras, Ponta das Canas, Brava, Ingleses e Santinho e que devem receber – se já não estão recebendo, centena de milhares de turistas.

Vi pela tv o presidente da Casan, empresa que “cuida” da nossa água, dizer que deverá ocorrer racionamento nesses primeiros dias de verão. Também está proibido (e quem tem o direito de proibir?) a lavação de carros e calçadas na cidade, inclusive com penalidades para quem se atrever desobedecer.

Fico me perguntando onde isso vai parar? Porque entidades divulgam ao longo do ano a cidade de Florianópolis aos quatro ventos? Gastam-se milhões com mídia, comerciais e propagandas. E vendem Floripa como “aqui é o lugar pra se viver”, porém nossos administradores, escondidos atrás de suas mesas, não criam projetos modernos, práticos e nem saídas interessantes para receber tanta gente e aí o caos se vislumbra.

Na revista Hardcore desse mês, uma matéria especial de várias páginas divulga as praias da ilha e nossas ondas. São depoimentos de alguns surfistas que pra cá vieram e por aqui se estabeleceram. O que me deixa apurrinhado é que só se comentam coisas boas sobre a cidade, enquanto isso o bicho pega – e tá pegando mesmo – nas esquinas, logo ali na frente, com assaltos violentos a mão armada, furtos, congestionamentos, filas em bancos, nos shoppings, isso sem falar no crowd...

Hoje quando cheguei na praia Mole, ainda com sol tímido entre nuvens, por volta das 6h40 da matina, cerca de 40 surfistas já se espremiam no canto esquerdo da praia, e disputavam as raras esquerdas de 0,5 metrão que rolavam com boa formação. As 9h30 arrumei minhas coisas e dei o fora. Caminhando pela areia, em direção ao estacionamento, contei as "cabecinhas" lá fora no outside. Parei nos 100...

Estou indo para Itapirubá nesse sábado, porém já com data marcada de retorno. O dever me chama e tenho que voltar (como é duro) já no próximo dia 2. Dessa vez, minha tranqüilidade será mesmo de pouquíssimos dias. Fazer o quê?...

Este post final de 2007 é dedicado aos amigos leitores do Alohapaziada e aos ilhéus que sofrem, assim como eu, dessa invasão de verão! A todos um feliz 2008!!!

7 comentários:

Felipe Siebert disse...

tive varios flashbacks lendo essa tua matéria...

somos 2... to zarpando para uma praia logo ali do lado de itapira...

negocio é fugir da ilha..

abraço,

boas ondas...

jefferson lopes disse...

Ontem, nos Ingleses, a água do mar parecia a de um bueiro (Camboriú style). Os nativos têm que economizar a água para os haoles poderem tomar seus longos banhos nos hotéis e pousadas da ilha. Ou será que alguém tem controle sobre o consumo dos hóspedes???
MUITA PAZ E MUITA ONDA EM 2008!!!

Maurio Borges disse...

Agora imagina aquele cara que guardou um dinheiro ao longo do ano e investiu num lava rápido para ganhar um troco durante a temporada de verão? Que preju! Por que nos hotéis, bares e restaurantes pode se gastar água e, lavar carro e calçadas não? A quem interessa esse mundo de gente vindo aqui pra Floripa? Pois eu respondo: Só interesse a uma meia-dúzia de empresários - donos de bares, boates e restaurantes, que enchem os bolsos durante a temporada de verão, com essa história de cidade turistica, capital do Mercosul. Me engana que eu gosto...

duduh disse...

eae Maurio, trabalho como estágiario na Casan, e lá estive em uma coletiva, onde o presidente esclareceu que o racionamento de água para as pessoas que lavam carros e calçadas, são para os ricos da praia brava e outras praias, que gastam gastam água a vontade e não querem nem saber, pois eles tem "o poder". Também aquelas pessoas que possuem uma casinha de praia, e para fazer um "dinheirinho" no verão alugam sua casa que suporta 3 pessoas, para 10 turistas, sem se quer fazer nenhuma alteração para suportar tudo isso.

Com relação ao Crowd estamos numa roubada, como você disse, floripa está visada como ponto central de turismo no verão. Ano passado era a Bahia, e esse ano somos nós, mas completamente sem estrutura para tudo isso, que dizem chegar a mais de 1 milhão de turistas só em florianópolis. O Crowd é no mar, na areia, no transito, enfim esse verão vai estar por todo lugar...

A Prefeitura passa na televisão propaganda dizendo que "estamos prontos para receber os turistas, com as praias totalmente estruturadas e etc." acho que estão vendo outra cidade, sinceramente.

Mas temos que conviver com isso, o que podemos fazer?
Só desejo que todas pessoas tenham seu momento de alegria, diversão e descanso, sem ser encomodado por nenhum desses invasores.

Um Grande Abraço,
e FELIZ ANO NOVO a todos!

Bruno Vieira da Cunha disse...

Máurio,
Primeiramente, nesse final de ano, quero te parabenizar pelo trabalho realizado ao longo desses "365" dias de ondas. Tanto pelo boletim quanto pelas iniciativas de eventos (filmes de surf, etc.) e pelo Blog.

Quanto ao boom turístico da ilha... é fato. Eu também sinto a diferença aqui no Sul da Ilha, que parece ser cada vez mais o novo destino turístico em Florianópolis. Mas é assim, afinal todos têm o direito de desfrutar desse paraíso que vivemos. Seria muito egoísimo achar que os turistas não poderiam vir. O verdadeiro incoveniente é que nem todos são educados o suficiente pra preservar esse belíssimo patrimônio natural em que vivemos. Lixos nas ruas, desperdício de água e energia elétrica, não separar lixo reciclável e invadir restingas são ações comuns de alguns turistas e, ironicamente, de alguns nativos e moradores não-nativos.
Cabe a nós educar o próximo e tomarmos atitudes coerentes.

O número de turistas que vêm pra cá parece excessivo porque não temos uma malha viária adequada nem mesmo à quantidade de moradores. Mas tenho certeza que o turismo é bacana de um modo geral, apesar dos incovenientes. Dá uma outra atmosfera, e envolve muita troca. Mas de fato falta uma melhor visão dos governantes pra adequar nossa bela cidade e investir coerentemente os recursos finaceiros ( e não só no turismo, mas na educação, esporte, cultura, saúde, transportes).
Mas problemas políticos e discordâncias ocorrem em QUALQUER sociedade.

Esapero apenas que esse ano de 2008 seja um ano de maior compreensão, educação e responsabilidade de todos nós. E claro, de maiores e melhores ondas.

Surf4ever disse...

Dale Maurio! A rapadura é doce mas não é (praia) mole! A cidade "turística" mostra seu "planejamento e administração de primeiro mundo" quando entope. No trânsito é onde mais se nota o clima de terra de ninguém e cidade sem lei. Na água, mesmo caindo muito cedo e bem no final de tarde, tem que estar muito zen pra não se estressar. Mas vamos tentar pensar na Marta nesse momento, brodi! Relaxa...
Feliz ano novo pra ti, istepô!
Abração, tudo de bom,
Gustavo
P.S - Pode contar com aquele apoio lá pro Surférias.

Rafael disse...

É Galera... não esta sendo nada fácil para nós nativos e morados dessa bela ilha. Será que é bela ainda?
É propaganda para todos os lados do Brasil e do mundo promovendo Floripa.
O pior estar por vir...pois na temporada todos os comerciantes aumentam os valores de produtos, preços sobem absurdamente e logo que passa a temporada, os preços permanecem com o mesmo valor da temporada... ai quem se "fd" é o nativo e morador...
Como você mesmo disse Maurio ... "Até quando vai isso tudo"
Fico muito triste em ver meu lugar onde vivo e cresci ser destruido pelo crescimento desordenado. Não esta sendo fácil suportar a crowd...O Campeche, principalmente o Riozinho...que era um lugar tranquilo.. agora virou um caos, esses fdp divulgam cada vez mais o pico, é porra de Cacau M. dizendo que é a praia da moda, é hardcore fazendo propaganda do lugar mostrando o caminho para as ondas... PARA QUE TUDO ISSO!!!
As pessoas estão vindo a praia nao para curti o visual, e sim para ficarem desfilando, metendo pose, essas porra de fresco-ball ficam no pá-pá-pá... nao dá mais para ouvir o som do mar...
Não esta sendo fácil.... a raça nao esta aguentando....

Onde vais parar.
Acho que a Ilha esta afundando e perdendo a Magia...

Desculpem...mas precisei desabafar...