quarta-feira, março 17

Tá tudo tão chato.

“O jornalismo de surfe é mau jornalismo. A sua pior forma. Sempre foi. Não necessita de grande técnica. Não requer muita visão. Não se compara aos níveis do mainstream profissional. Algumas matérias históricas – e artigos ambientais no The Surfers Journal e Surfer Path – demandaram pesquisa e foram bem escritos, mas na área de campeonatos já foi tudo condenado a morte, ano após ano. A culpa não é do jornalismo. Se não há nada de fresco para escrever sobre, é provável que a qualidade vá entrando em erosão ano após ano. Quantas pessoas podem escrever sobre uma mesma coisa e ainda assim mantê-la maravilhosa? Poucas. Mudanças com significado vão trazer visões com significado. Lembres-se que não posso comentar sobre o jornalismo de surfe brasileiro – apesar de poder dizer que a paixão existente no Brasil não existe noutros países.”

Está lá, na última página da HC desse mês.
Jornalista Derek Hynd responde algumas perguntas para o Júlio Adler na coluna Sopa de Tamanco.

PS. Julio, cá entre nós, mas dar a capa e a página 10 pra gringos? Pede pro Steven botar mais brasileiro na próxima edição da HC, pede.

6 comentários:

Luciano Burin disse...

O Derek Hynd sem dúvidas tem autoridade para meter o pau na qualidade das publicações de surf gringas, pois ele sempre se destacou pela alta qualidade de seus textos.

O The Surfer`s Journal é, na minha opinião, disparada a melhor publicação de surf em termos de textos e fotos.

Quanto ao jornalismo de surf brasileiro, infelizmente a "paixão sem igual" a que ele se refere quase nunca se reflete em qualidade jornalísitica - com honrosas exceções, como a coluna do Júlio Adler na Hardcore.

abs,
Luciano
www.surfecult.com

DSC disse...

nao entendi pq na capa da hardcore tem um havaiano que eu nao sei nem o nome.....se ainda fosse o andy, careca, joel, mick, taj....mas um havaiano (acho q é havainao..)na capa é esculachar muito os tupiniquins...rola alguma grana de patrocinador na escolha das capas????

José Augusto Martinelli Neves disse...

CRedo...que xenofobia......Tem gringo que contribui e muito para o surf internacional, nacional e regional, seja numa entrevista ou metendo o pau no amadorismo brazuca. Se for pra somar, que botem gringo toda hora, pq cá entre nós, a Hardcore deixa muito a desejar, com textos pobres há um bom tempo

Sandro Murara disse...

Outro dia fui criticar no forum do maior site de surf do Brasil, Waves, o fato deles frequentemente colocam reportagens onde os gringos aparecem dando sua "opinião" sobre os surfistas brasileiros no tour. Pura papagaiada. É sempre a mesma pergunta e consequentemente a mesma resposta. Sem contar que é um assunto que não agrega em nada. O que aconteceu? Fui CENSURADO!!! Meu cadastro foi bloqueado e meu comentário retirado. Protestei e fui atendido pelo Alceu Toledo jr que recolocou o comentário e desbloqueou o cadastro. Acho que eles não gostaram pq falei pra eles fazerem essa mesma pergunta pro Sunny Garcia, Eddie Rothmann, Johnny Boy Gomes, entre outros havaianos "gente fina".

Anônimo disse...

Teve um ciclo no brasilis, q este senhor Hynd, era louvado e suas bolas chupadas, até o caroço.No Guarujá dos 80 e 90 então...O Rosaldo Cavalcante, dono do se acha, Now, na época,desfilava c/o aussie, q gostava da notoriedade e parecia surfstargay.Bem,deixemos prá lá. São cintilâncias de nosso surf. Minha surpresa, foi agora qdo, o Chile,teve esse Tsunami e um certo PICO SECRET,onde Mr.Hynd, tem casa e Rastovich, faz visita, no Blue Horizon, apareceu numa ao vivo direto da Globo.Caracas, descobriram o baú das esquerdas clássicas,de Derek.Eu cá prá nós nem lembrava mais o NAME do figuraça, prá dar a noticia.Há,há,há.Hô barriga verde, Parabéns, intero seu texto, qto ao Gustavo e seu trampo.O bixo merece os louros.Eu cliko lá sempre.Abçs e ufa, tanks por lê esta.
Castro

Felipe Siebert disse...

Derek Hynd é um cara bem doido... vi no filme Musica Surfica surfando uns 2 conto em JBay com uma prancha sem quilha. Se jogar o nome dele no youtube deve aparecer algo...