sexta-feira, abril 17

Resumo de Bells.

Assisti somente algumas baterias da primeira fase e as dos brasileiros na segunda lá em Bells. Meu computador deu pau, fiquei sem máquina desde terça-feira. No feminino não vi nada, só imagens pela TV de algumas ondas na vitória da Silvana Lima. Depois de bater na trave seis vezes, (foi vice-campeã em seis etapas) agora deu uma dentro. A urucubaca ao que tudo indica saiu.

Silvana dispensa comentários, é hoje a nossa melhor competidora no Tour. Jackie anda meio fraca das pernas (precisa de Sustagem) e a Bruna debuta. O que me espanta é a força dessa cearense nos meios de comunicação. Qualquer resultado por ela obtido é comemorado em tudo quanto é canto. A menina tem carisma, eu sei, falta-lhe estudo. A Billabong, seu patrocinador, deveria olhar com mais carinho pra sua pupila, quem sabe bancar algumas aulinhas de boas maneiras, de como se comportar e falar em público e dar entrevistas. As suas são sempre de arrepiar. Uma verdadeira campeã não se faz somente dentro d’água. Mas, também quem liga pra isso no surfe...

No masculino Joelzinho levou mais uma, a segunda seguida. Todas até o momento. Não teve pra ninguém até agora. A surpresa foi o local Adan Robertson chegar em segundo e a tempo de também dar umas badaladas só que num sino menor.

Com esse terceiro lugar em Bells, Jordy Smith entra na briga direta pelo título, embora ache que ainda falta muito para o sul-africano. O ano começa a empolgar. Parko, Faning, Patachia, CJ, Taj, Mineiro, todos ali de mãozinhas dadas pra ninguém se perder(?) e disparar.

Uma rápida passada de olhos no ranking e onde está Kelly? Lá no meio da tabela, apenas na modesta vigésima quarta colocação. Procuro pelo Heitor, 29º. O Mineiro caiu quatro posições e está em sexto. E o Jihad? Fui direto lá pra rabeira do ranking e me surpreendo. Não ele não está lá. O paranaense aparece na ponta de cima da tabela numa confortável 14º colocação?

Resumindo: Kellinho em maus lençóis. Mineiro vivo. Jihad calando seus críticos (eu sou um deles) e Parko 100%. Agora vem Teahupoo e na seqüência a etapa brasileira que nesse ano está encaixada no meio do calendário, fundamental para todos. Peraí, eu falei todos. Todos eles!

Quero ver quem vai alegar que a mãe vai se casar, que o pai está doente na cama, que o cachorro fugiu e que a vizinha está com dor de barriga, pra não vir pra Imbituba em junho. Quero só ver...

4 comentários:

SURFEMAIS disse...

O Maurio.
O Kelly ganhou um premio sim, em sua passagem pela Australia. Ficaria muito mal se os Aussies não dessem a sua colaboração pro décimo título de Slater. Ele dividiu o título da Expression Session do campeonato, com ninguem menos que o seu concorrente Mick Fanning. Resta saber se vai ajudar alguma coisa no ranking da ASP, alguns pontos extras (hehe). Mas o que valeu foi a intenção dos australianos em colaborar pro próximo titulo de Mr. Sl8r. Sou prova cabal disto. Eu assisti desde as quartas até a final. Jihad também correu a E.S.
Foi engraçado ver anunciarem os dois dividindo o titulo da expression session. Os australianos tem mesmo um senso de humor exagerado.
Eduardo Rosa

jefferson lopes disse...

Teu computador deu pau? Deve ter sido de tanto ouvir as baboseiras que o tal da Sportv falava, junto com a sua coleguinha de microphone. Aqueles dois fariam sucesso no tempo da guerra fria. A KGB ia adorar te-los como aliados nos programas de "lavagem cerebral" da antiga USSR. O cara fica tentando explicar tudo nos mínimos detalhes. Será que ele nunca parou pra assistir a transmissão dos gringos, ou a do Nuno Jonet (para mim, o grande Mestre). É de dar nôjo!!!

SURFEMAIS disse...

Também concordo com o Jeferson. O cara realmente é um chato de galocha. O cara acha que todo mundo que tá assistindo a transissão é leigo do surf. Como que se a grande maioria que tá ali altas horas da noite, não pegasse onda ou tivisse a minima intimidade com o surf. A guria também nem deve pegar onda. Ta ali de fantoche pra "galera" ficar babando em cima da "beleza" dela. Tenho adorado também a ESPN, mas falta a eles um pouco de intimidade com o nosso esporte. Quando o Renato Hickel entra na transmissão do Sportv é até um alívio, como o fez diversas vezes durante os dois primeiros eventos este ano. Ano passado também ele se destacava. Pena que ele é avaiano. rsrs. É o mínimo que eles poderiam nos apresentar, cultura do surf nas transmissões. Já faz tanto tempo que eles transmitem campeonatos - ao vivo ou não - que ainda não aprenderam ou parece que não quizeram achar as pessoas certas. Dá até saudades do Bocão. Woohoo neles!!
Eduardo Rosa

Cabelo disse...

Sobre oque os surfista falam...

Concordo contigo sobre as aulinhas de reforço pra silvana,ela é indiscutivelmente talentosa,vitoriosa e a respeitamos muito,mas, melhorar no aspecto "comunicaçao e expressão" a fariam ainda mais admirada.
Porém vale lembrar que infelizmente, esse "toque" vale para a maioria dos surfistas profissionais. Na hora da entrevista é aquele discurso : "tô amarradão...pô... e´...e´isso aí". Até muitos gringos(ainda que em inglês)não falam "coisa com coisa".
O surfista profissional vive do surfe e também da imagem dele,e a maneira como ele se comunica e o que ele comunica é parte dessa imagem.
Hoje em dia eu vejo poucos como o Mineirinho, Bruno Santos e o Neco, que são exemplos no Surfe e na hora de falar.
Não e´uma questão de educaçâo academica,e sim uma questão de informaçâo,ao menos sobre o esporte que lhes "dá o sustento."
Pois se o cara "sabe" sobre o que ele fala,a maneira como ele fala pode ser melhorada.
Brothers... não é vergonha nenhuma voltar a "aprender", muito pelo contrário e´ um orgulho.