sexta-feira, abril 9

Dizer mais o quê?

Muita gente foi ao cemitério Jardim da Paz nessa tarde de quinta-feira se despedir do Ledo. Foi um encontro emocionado de várias gerações do surfe catarinense. O shaper Geraldo Rinaldi das pranchas GR, veio de Laguna. Afonso, da Oceano, Ersinho de São Francisco do Sul, Ivan Junkes, Flávio Boabaid, Roberto Lima, Bichinho, também estavam lá. Apareceu gente de todas as praias do nosso litoral. Antigos parceiros que trabalharam na Inside como o fotografo Flavinho Vidigal, Davi Husadel, Luis Gondin, Rodrigo Viegas e Anselmo Doll, também. Isso sem falar numa centena de amigos anônimos que prestaram uma última homenagem.

Muita emoção, uma enorme tristeza e o sentimento de total impotência. A sensação geral é de que estamos todos desprotegidos. A repercussão do crime foi enorme na imprensa local com todas as emissoras de rádio, televisão e jornais dando destaque ao incidente.

Dos quatro marginais, três já estão detidos. Dois deles são menores de idade e já envolvidos com o mundo do crime com passagens pelo Centro de Recuperação São Lucas. Já o assassino do Ledo, têm 20 anos de idade e carrega nas costas, pasmem(!), quatro indicações de homícidio.

A pergunta que fica no ar e sem resposta plausível é como esses deliquentes, com fichas criminais extensas, andam soltos por aí. Que policia é essa? Que justiça é essa? A sensação de impunidade - de que nada vai acontecer - é a mola mestra que gera essa imensa onda de violência por todos os cantos do nosso país. E Floripa não é diferente, não foge a regra.

A cidade mudou, mudou pra pior nessas últimas duas décadas. Cresceu de forma desenfreada e sem estrutura para receber tanta gente. Bolsões de pobreza e novas favelas surgem num piscar de olhos numa "capital" que um dia já foi considerada mágica.

A disseminação da droga, a falta de oportunidades de empregos também são fatores fundamentais para esse aumento da violência. Ledo foi morto em sua residência, em Ponta Das Canas, um bairro relativamente tranqüilo, com um tiro que atingiu seus órgãos internos pulmões e coração. Seu corpo velado na tarde desta quinta-feira deverá ser cremado até sábado.

Fica o legado deixado e as amizades construídas nesses seus 50 anos de vida. Um cara de forte personalidade, de opiniões contundentes, muitas vezes polêmicas. Ledo em parceria com seu amigo de faculdade de jornalismo Atila Sbruzzi foram os editores da Inside transformando-a de um simples folheto de 4 páginas, produzido em papel couchê, impresso em preto e branco, lá em 1984 numa revista de circulação nacional.

Como presidente da Fecasurf organizou inúmeros eventos com destaque para o "Mormaii Surf 88" disputado numa Silveira gigante e gelada. Na Joaca, o "Mormaii Loco Beach" se tornou memorável com uma final envolvendo até então duas promessas do surfe nacional. Teco levou a melhor sobre Peterson Rosa. Outras três competições também disputadas em ondas grandes e organizados pelo Ledo e que deixam boas lembranças foram o "Mormaii Cristal Iquique Pro" no Chile, válido pelo WQS em 1993, além do Nescau Surf Energy na Joaquina e o Op Pro na Vila, ambos em 94 numa parceria com a Abrasp e ASP.

Após o velório, no caminho pra casa, parei num supermercado. Na fila do caixa, um policial militar com alguns pacotes nas mãos e vários brasões e insígnias no uniforme. Me aproximei e perguntei: Que policia é essa que não nos dá sequer a mínima segurança? Ele, com toda calma respondeu: "Não temos efetivo. São poucos os policiais. E tem mais. A polícia prende e a justiça solta. Nossas cadeias estão abarrotadas e não cabe mais ninguém" sentenciou.

Dizer mais o quê?

6 comentários:

tobias disse...

além dos policiais com ultrapassados e os maus treinados...
falta efetivo, inteligencia e salários decentes

Döll disse...

Maurio, fica na memória o estilo e o jeitão do Ledão...
A vida continua e temos que ter muito mais atitude em relação às questões politicas do nosso país. Enquanto apenas esperarmos, vamos receber o que recebemos. Tem muita garotada cheia de vontade querendo assumir o lugar dos velhos politicos corruptos e ladrões. É hora de apostar em novos e sonhar um novo tempo ou ...Esperar a morte chegar.

Luiz disse...

Eu nunca poderei esquecer desse cara, que me trouxe pra Floripa, me abrigou em sua casa, foi meu parceiro de surf e me deu o melhor emprego que já tive na vida!
A revista Inside e o Ledão nunca mais saírão das melhores lembranças da minha vida!
Valeu, obrigado irmão!
Luiz Gondim Jr

thiago carriço de oliveira disse...

Maurio, pena que muitos não sejam bem informados! A justiça nunca soltou o assassino do Ledo! Aliás, foi a justiça que o condenou e determinou sua internação, há mais de um ano. O Ministério público e o Judiciário concluíram todos os processos dentro do prazo. Depois disso, quem cuida da contenção é o Poder Executivo, dirigido pelo governador do Estado, que, aliás, não cuida bem. Internaram, mas o assassino fugiu no final do ano passado. Portanto, a justiça não solta nem é negligente... Negligente é o governo do estado, que não investe no São Lucas e não está nem aí para as fugas que ocorrem... Também sentirei saudades do ledão!!! Grande abraço. Thiago Carriço de Oliveira

Jean disse...

a polícia fez sua parte....ou não?...porque então os marginais tinham "passagem" pela polícia?....pq foram presos...quem soltou...a justiça?...também não, pois os juízes cumprem a lei, apenas isso (não é a toa que são chamados operadores do direito)...então a culpa é do poder legislativo, responsável pela criação das leis não é isso?...mas quem elegeu estes políticos?...não foi o povo?....não foi você meu camarada?...de quem é a culpa se não sua e minha tb...por eleger essa corja e engolir toda essa hipocresia sempre de bem com a vida....hahaha...futebol...carnaval...coisa linda.....muito surf....brasil...uhuhuuuu....pena que a maioria das pessoas não são inteligentes o bastante para tirar suas próprias conclusões sobre os fatos...aí leem bobagens como você escreveu e acreditam que a culpa não é sua......é mais fácil assim....a culpa não é minha....sobre seu amigo, lamento muito...lamento tb por sua ignorância, mas não espero muito mesmo de um reporter....nem que vc publique isso....

Marcos Souza disse...

Realmente foi muito triste.
Morar em um local pacato e tranquilo como Ponta das Canas e ser assassinado dentro de sua própria casa é um sinal claro que perdemos o direito de cidadãos catarinenses para a incopetência do governo estadual.
Se ao invés de Kartódramos, grandes shows pirotécnicos e projetos megalomaníacos, os srs. Luiz Henrique e Dário Berger cuidassem do básico, isto não teria ocorrido.
Um desabafo de quem conheceu o Ledo Mur!!!! Saudades.

Marcos Souza