sexta-feira, maio 18

Como dois mais dois...

A etapa de Teahupoo já é coisa do passado. Recente, mas é. A quantidade diária de informações que pipocam na tela dos nossos computadores via internet confirma minha afirmação e impressiona. Amanhã ou depois um outro campeonato pelo mundo já será notícia. E pensar que há pouco tempo atrás ficávamos dias, meses, esperando por alguma novidade que só chegava publicada nas páginas dos jornais Staff e Now (que saudade) ou nas revistas especializadas.

Acabei não assistindo a bateria final já que estava no jogo do Figueira pela Copa do Brasil. Mas tive a oportunidade de conferir hoje pela Sportv algumas ondas do confronto que fechou o Billabong Pro, vencido pelo norte americano Damien Hobgood.

Umas poucas linhas aqui para comentar a cobertura realizada pela Sportv: Sinceramente, durante a semana, não deu para aturar a inexperiência da apresentadora e os comentários do Ricardo Tatuí no canal mais vezes campeão. Fica provado que nem sempre um bom surfista sabe se expressar, mesmo quando o assunto é surfe. Além do pouco conteúdo e vocabulário limitado, o niteroiense com seu “carioquês” afinadíssimo, errou em todas as suas previsões de notas. Tatuí deveria aproveitar essa oportunidade dada pela Sportv e também fazer um curso intensivo de juiz, pois como comentarista, definitivamente não dá.

De volta pra água. O tubo nota 10 do Fanning foi e-s-p-et-a-c-u-l-a-r. Profundo. Um drop no limite, uma ajeitada no corpo, prancha no trilho, tudo numa velocidade absurda e sem oferecer a menor chance para o erro. E ele andou m-u-i-t-o lá dentro. E de back! Mick mostrou que está afiado, centrado, e é sem dúvida o cara a ser batido nesse início de temporada.

Mas os melhores momentos nesse Teahupoo morno de 2007, aconteceram na penúltima bateria das oitavas e na última das quartas de final. De um lado o australiano Taj Burrow brigando para não perder Fanning de vista. Do outro, Cory Lopez buscando seu melhor resultado até o momento no Tour.

Foram trinta e cinco minutos de surfe da melhor qualidade. Taj abriu a disputa com um 9,33. Lopez respondeu com dois tubaços. Suas notas: 9,33 e 8,33. Taj ainda fez um 8,17 mas não conseguiu encostar. Após avançar nas oitavas, Lopez foi derrotado pelo australiano Kai Otton nas quartas-de-final, também num duelo duríssimo e bem equilibrado.

O mais impressionante foi assistir Cory Lopez (na foto no alto) totalmente à vontade dentro d’água nesses dois confrontos. Despencar na ponta dos pés nas esquerdas rápidas de Teahupoo e acelerar dentro dos barrel’s com tamanha facilidade não é pra qualquer um – e a sensação que ficou foi que tudo parecia ser muito simples, fácil, assim como dois mais dois...

4 comentários:

surf4ever disse...

Olha eu de novo - pra variar - comentando aqui no Alohapaziada!

Para os que achavam que o irmãos Hobgood já eram, o Damien mostrou que ainda não tá morto.

Maurio, não tenho o teu conhecimento técnico para opinar sobre a apresentadora e o comentarista do Sportv, agora, convenhamos, o que são aquelas matérias do Régis Rosing em Teahupoo??? Porra, cara, até quando teremos que aguentar aquilo? Se a Globo quiser continuar mostrando aquilo no Globo Esporte, Jornal Nacional, etc, tudo bem, sabemos que o Surf atrai atenção do público em geral. Mas, ter que aguentar aquilo na Zona de Impacto é tortura, cara. Eles que paguem uma passagem para o Teco, que já trabalha para o canal, ir fazer umas matérias decentes, ou então para outra pessoa que também saiba do que está falando, porque assim não dá mais pra aturar.

Maurio Borges disse...

Fala Gustavo.
Tu sabes que eu acho o cara engraçado... Ele é bom pra caramba. Concordo que para matérias avulsas, tipo Jornal nacional, Globo Esporte, Jornal Hoje ele manda bem porque o surfe chega de uma maneira descompromissada... Agora para o Zona de Impacto, realmente é complicado... Mas, então o que falar da Diana Both? Pelamordedeus!

Anônimo disse...

Porra, eu tbm tava no scarpelao aquele dia, coisa linda nosso time! mas sobre esse evento, foi o pior comentarista que eu já vi na sportv, pedro muller e o teco sao muito melhores, o tatuí nao conhecia nenhum surfista do wct, o único que ele conhecia era o bruno santos tas é loco. bem que eles podiam botar o perdigao e renato hickel pra narrar la né... eles que sabem das coisas. agora esse ct em el gringo que promete tomara que de altas.

surf4ever disse...

Pois é, não é que eu odeie o Régis Rosing, acho ele muito bom também, só que para o futebol, copa do mundo ele faz matérias ótimas. No Gol 1000 do Romário agora ele mandou bem pra caramba. Agora Surf, definitivamente, não é a praia dele!
Da Diana, a única coisa que posso dizer é que ela é uma apresentadora boa (e não uma boa apresentadora)...Tomara que o Simão Romão nunca leia esse fórum aqui, senão o cara vai querer me dar porrada!