quarta-feira, maio 16

Quarta nobre...

E não é que o mar subiu de segunda pra terça-feira. Havia mesmo a indicação de ondas reagindo nesse início da semana, porém poucos, ou quase ninguém, inclusive eu, esperavam por ondas acima dos 2,5m nas praias do litoral catarinense.

Uma pena foi que a ondulação de sul veio acompanhada do forte vento sul, pelo menos no período da manhã, deixando o outside das praias do leste da ilha Joaca, Mole e Galheta, vazios com ondas bem irregulares. Muita gente me ligou durante o dia afim de saber onde estavam rolando as melhores condições. Numa conversa com o paraibano Fabio Gouveia, fiquei sabendo que entre o Riozinho e o Campeche ondas um pouco balançadas mas bem tubulares foram surfadas. Apesar do crowd foi a melhor opção pela manhã.

Ao longo do dia o vento sul parou e o mar logo se ajeitou. No canto direito da Mole, conhecido como Gravatá (foto), ondas pesadas entre 2,5 e 3,0m foram dropadas por uma meia-dúzia de locais. As direitas entravam lá fora, alinhadas, com muita pressão. Naquelas condições, botar prá baixo só mesmo com uma boa remada, prancha maior e dose extra de disposição.

Já pelas praias do continente a laje no Silveira proporcionou surfe de responsa e a praia central de Navegantes foi opção para um surfe em ondas menores. Hoje o mar acordou agitado com ondas de 1,5m de boa consistência e vento norte soprando. Mais um dia de surfe de norte a sul do nosso litoral com ondas alinhadas e as maiores da série fechando como uma guilhotina.

E por falar em guilhotina, é hoje, lá pras bandas da terra dos crânios quebrados que a geripoca vai piá na decisão da tão aguardada terceira etapa do CT. É grande a expectativa por todos: atletas, organização e membros da imprensa pela subida do mar em Teahupoo, afinal a etapa mais cascuda do mundial ainda não empolgou. A transmissão on line, por outro lado tem sido muito divertida com a dupla Hickel e Perdigão.

Uma quarta-feira nobre com surfe ao vivo direto do Tahiti, on line à partir das 17h. Jogo as minhas fichas no Cory Lopez que enfrenta pelas quartas-de-final Kai Otton. Sua bateria contra Taj Burrow nas oitavas, foi uma aula em tubos profundos. Ah, ia me esquecendo, nessa quarta-feira nobre tem futebol da "melhor qualidade" com o meu Figueira pela Copa do Brasil. Atropela Surfigueira...

2 comentários:

Anônimo disse...

que surf que nada, quem bombou foi o figueira!!! a final é de vcs, maurio, pq o dodô e o bota pipocam na hora h, abração, zé augusto

surf4ever disse...

Realmente a quarta nobre encerrou com chave de ouro, já que não deu pra "botar fogo"!

Que foto show, brother, fico imaginando um WCT no Gravatá com essas condições...