quarta-feira, outubro 10

W.O pra mim...

Tinha até essa tarde de terça-feira 9, o compromisso de cair na estrada em direção a cidade que já foi um dia maravilhosa, e de lá cobrir para a rádio Jovem Pan a etapa que encerra oficialmente a temporada do surfe profissional brasileiro.

Nesse ano em que completo 20 anos de rádio, com inúmeras coberturas de eventos nacionais e internacionais nas costas, confesso não estar com a menor vontade de partir. Após todos esses anos estou definitivamente abandonando o barco antes mesmo da sua saída do cais. Resolvi aguardar pelos dois Qs 6 estrelas, Brava e Itamambuca, e pelo Ct da Vila que rola na seqüência.

O SuperSurf pode até ser considerado o principal circuito profissional de surfe do mundo, nosso melhor produto, etc e tal... Li algo assim outro dia em algum lugar. Sei também que o SuperSurf distribui 100 mil reais aos seus vencedores por etapa. E se não me engano são 12 mil para o campeão. Uma bela quantia, se analisarmos friamente nossa realidade econômica como país de terceiro mundo. Porém esse valor está muito distante do que esperam nossos surfistas profissionais. Aliás, essa premiação já deveria ser outra, bem maior, há algum tempo. Ou será que estou ficando louco?

Não sei porque mas o SuperSurf me soa falso. Não me agrada. Não tem magia. Acho até que já disse isso aqui antes. Falta-lhe um molho. Denominado como "Brasileirão" do surfe profissional, não consigo admitir estarmos em 2007 com um circuito nacional que não vá ao norte, ou mesmo passe pelo nordeste brasileiro, celeiro de ótimos talentos e carente de bons eventos e intercâmbio.

Acredito que não há interesse do grupo que organiza o circuito brasileiro em levar uma etapa lá prá cima função de custos e despesas. Se não vejamos: O SuperSurf começou em Santa Catarina com a etapa da Ferrugem na já decadente Garopaba em plena temporada de verão. Armou o circo em Saquá e Itamambuca. Passou na florida Maresias (com pouco público na praia) e está finalizando essa semana na Barra da Tijuca. O que sobrou no sudeste faltou pro norte-nordeste.

Um circuito denominado como "Brasileirão" deveria no mínimo ter uma etapa em cada região, ou estou enganado? Se você discorda do meu ponto de vista, e acha que está tudo bem, e que o SuperSurf é do "C@r@#*%!, então me responda rápido, sem pestanejar: Quem é o atual campeão brasileiro de surfe profissional?

Dou-lhe 1.
Dou-lhe 2.
Dou-lhe 3...

A resposta está lá nos comentários...

7 comentários:

Maurio Borges disse...

Não lembrou, né? E veio aqui conferir quem levou o caneco pra casa em 2006. Pois é, o campeão da temporada passada do SuperSurf foi o paranaense Jihad Kodhr que tem todas as chances de se tornar Bi-campeão nesse ano de 2007. Quem também está na briga: o carioca Marcelo Trekinho e o catarinense Marco Polo. Até domingo o Brasil tem um novo campeão do sul-sudeste. Ou seria brasileiro?

Máurio
Surfe Todo Dia

Giovanni Mancuso disse...

Máurio, parabéns! Acertaste na mosca. Penso da mesma maneira. Aliás, eu costumo bater na mesma tecla com o Circuito Gaúcho. Quando alguém vem tentar discordar de que o nosso regional está uma favela, eu pergunto na lata: então me diz que é o atual campeão gaúcho. Geralmente a pergunta fica sem resposta.
Eu nem tenho saco de assistir o SuperSurf na TV...
[]s, GM

jefferson lopes disse...

O Brasiltour é mais emocionante que o Supersurf. Talvez os dois deveriam ter o mesmo formato. Mas os dirigentes pensam diferente, tanto que o número de vagas para os atletas que tentam a sorte pelo Brasiltour diminuiu. Mais uma politicada para dar vagas para "psudo-campeões" estaduais e regionais. Ha! Me engana que eu gosto...

Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno disse...

E tem mais:
Sabe porquê nosso "brasileirão" não vai para frente ?
Pelo mesmo motivo do futebol brasileiro. Os melhores picam a mula rápido da terra-brazilis. Ficam lá no 'CT, fazendo número, achando que ganharam o titulo mundial só por estarem na primeira divisão. A regra é clara e impede que os atletas possam competir em ambos os torneios. O assunto dá muito pano pra pouca manga...
aproveita e confere o monoquilhas.blogspot !

Anônimo disse...

"O SuperSurf começou em Santa Catarina com a etapa da Ferrugem na já decadente Garopaba em plena temporada de verão."

Bom dia Máurio, não entendi o porque da já decadente Garopaba?

Explica para nós...

Abraço, Lucas

castro pereira disse...

Parabéns, gostei, inspirei e agora chega de babar ôvo.Hô istepo, vamu cobrir o WCT, com nossa veia de escriba???Q cê acha!