quarta-feira, agosto 12

Novas lições

Gustavo Cabral tem boas considerações.
O tour rebelde continua rendendo.

"...Parei de escrever sobre o 'tour do Slater' ou 'tour rebelde' porque os desdobramentos rendem novidades quase diárias e este blog é um banco de dados, não de notícias ou rumores. Mas registro aqui algumas conclusões pessoais, antes mesmo que se chegue a definições. Primeiro e principalmente, por melhores que sejam as intenções, não há dúvida de que o assunto foi tratado de forma desastrada, com certo custo à imagem do Kelly Slater. Muita gente, inclusive eu, tirou conclusões negativas sobre suas motivações e objetivos. Os australianos em especial se exaltaram. Porém, tudo tem um lado positivo, e como li em algum comentário, entre as muitas dezenas nas tantas matérias a respeito, o tal tour rebelde ampliou o debate sobre a ASP e seus circuitos. De tudo que vi, ressalto algumas questões pertinentes, talvez discutíveis, sobre medidas para valorizar as competições internacionais de surfe..."

Continue lendo aqui.

2 comentários:

Surfe Catarinense disse...

Valeu o comentário e o link, Maurio! Li teu post anterior, também estou na torcida para que a ASP amplie seus horizontes. Pessoalmente acho negativo um racha no circuito, a princípio até pensei que a manobra do Slater era só para sacudir o clube como dizes e pressionar por mudanças. Mas parece que é mais que isso. A idéia de um tour elitista e televisivo de apenas cinco meses não me agrada, porém tem tanta coisa a ser esclarecida que nem vale discutir isso. Minha torcida na real é por uma melhora ampla no sistema e não só no topo. Gostaria de ver uma estrutura melhor para as centenas (milhares?) de surfistas que competem profissionalmente e não apenas para os que (momentaneamente) tem chance de conquistar um título mundial. Mas o assunto é polêmico mesmo, tem surfista que prefere que o esporte nem seja divulgado, pra não crowdear...

Barbara Hannah disse...

voaaaaa Gustavo, voaa! hahahha